Instituto Crescer trata dependentes químicos no Distrito Federal

Areolenes Curcino Nogueira, delegada da FEBRACT-DF, apresenta o Instituto Crescer, localizado em Vicente Pires, Região Administrativa do Distrito Federal.

Areolenes Curcino Nogueira, fundadora do Instituto Crescer

A ONG já atendeu pelo menos 1000 pessoas com algum tipo de dependência química, que são tratados, recuperados e depois voltam a viver em sociedade.

A maioria delas estava em situação de completo desalento, morando na rua. Atualmente, o Instituto acolhe cerca de 100 usuários de drogas.

Areolenes, fundadora do Instituto Crescer, conta que o Instituto surgiu a partir de um trabalho feito por ela por 3 anos nas ruas, dando comida e oração para dependentes químicos e ouvindo dessas pessoas que elas queriam sair da rua.

A partir daí, Deus tocou em seu coração e ela os trouxe para a sua casa, que  se tornou o Instituto Crescer.

O Instituto hoje conta com duas unidades: a unidade de recuperação, que fica na Ponte Alta Sul atende 76 pessoas por um período de tratamento de 6 meses.

Instituto Crescer

Em seguida, os atendidos são encaminhados para a unidade de reinserção, que fica em Vicente Pires, onde passam mais 6 meses sendo capacitados para depois serem inseridos no mercado de trabalho.

Areolenes conta que durante o período de recuperação, a  fase de abstinência é uma fase muito aguda, que precisa de tratamento médico. Para isso, contam com uma parceria com a rede pública de saúde.

Quando são acolhidos pelo Instituto,  eles passam por um clínico, psicólogo, psiquiatra e recebem medicação, para depois iniciar o tratamento.

Para se manter, o Instituto Crescer conta com uma diária de R$ 33,33 por dependente químico, paga pelo Governo Federal, que é suficiente apenas para pagar as 5 refeições diárias do acolhido. Todas as demais despesas da casa são mantidas pela “graça de Deus”, como diz Areolenes, e por parceiros fiéis que ajudam mensalmente.

Saiba mais sobre a instituição: www.crescerdf.com.br

Um trabalho sério, que não pode parar e que conta com ajuda de voluntários.

Acompanhe a entrevista de Areolenes, falando sobre o Instituto Crescer, ao Blog da Ema: